As imagens são meramente ilustrativas. No caso dos vinhos safrados, a safra mostrada no rótulo da imagem pode não corresponder ao ano de fabricação do vinho. Beba com responsabilidade. A venda de bebidas alcoólicas é proibida para menores de 18 anos. Dirigir sob a influência de álcool configura delito, passível de sanção penal.

Com alto potencial, elegantes e estruturados, os vinhos da Tapada do Chaves são especialmente indicados para quem gosta de vinhos raros e verdadeiramente extraordinários!

Resulta da seleção das castas Aragonez, Trincadeira e Alicante Bouschet, das vinhas,  Vinha das Malhadas, Vinha das Moutas e Vinha Velha (1901), plantadas entre os 350 e 400 metros de altitude. Cor granada concentrada, aroma intenso e cheio, dominam os frutos silvestres e a fruta preta, com suaves notas fumadas. Na boca apresenta grande estrutura, com taninos robustos, volume e acidez firme. A fruta intensa surge lado a lado com notas de especiarias e suaves balsâmicos. Final muito complexo, com fruta e muita elegância que persistem.

Localizada em Frangoneiro, nos arredores de Portalegre, em terras do Alto Alentejo, encontra-se a Tapada do Chaves, uma propriedade que dá origem a vinhos de qualidade reconhecida há quase 100 anos. Com 60 hectares de terra e 32 de património vitícola, 23 dos quais de castas de uva tinta e nove hectares de castas de uva branca, a Tapada do Chaves localiza-se numa zona fortemente influenciada pela orografia (Serra de São Mamede) e pela cobertura agroflorestal que lhe confere um microclima específico e decisivo para a qualidade e tipicidade dos vinhos aí produzidos.

São raras as propriedades vitivinícolas alentejanas que acumulam mais de um século de existência. A Tapada do Chaves é, por isso, um caso único no panorama alentejano. Trata-se de um lugar particular, singular pelo seu património, pela sua orografia. Localizada sobre um maciço de granito e com uma altitude generosa que permite a maturação lenta e plena das uvas, o que se reflete em aromas muito puros nos vinhos e numa frescura singular nos tintos e brancos. A sua história remonta ao início do século XX quando, no Frangoneiro, o senhor Chaves, plantou na sua pequena propriedade (Tapada) as primeiras vinhas, iniciando uma relação de paixão e de dedicação à terra.

Na Tapada do Chaves encontram-se duas das mais velhas parcelas de vinha do Alentejo, em produção, com registo nos passados anos de 1901(vinha velha tinta) e 1903 (vinha velha branca). Logo desde o início da sua história, o Tapada do Chaves foi distinguido por um invejável palmarés de prémios e distinções que ainda hoje se pode observar nas diferentes salas que compõem a adega histórica desta propriedade. Ter um Tapada do Chaves na mesa ou na cave passou rapidamente a significar ter o melhor que o Alentejo podia dar. Destes vinhos afamados glorificava-se a boa frescura sem prejuízo de um corpo generoso e aveludado. A longevidade destes vinhos sobretudo dos tintos, é também uma das suas glórias.

Tapada do Chaves Reserva Tinto 2013

Esgotado
Tapada do Chaves Reserva Tinto 2013

Com alto potencial, elegantes e estruturados, os vinhos da Tapada do Chaves são especialmente indicados para quem gosta de vinhos raros e verdadeiramente extraordinários!

Resulta da seleção das castas Aragonez, Trincadeira e Alicante Bouschet, das vinhas,  Vinha das Malhadas, Vinha das Moutas e Vinha Velha (1901), plantadas entre os 350 e 400 metros de altitude. Cor granada concentrada, aroma intenso e cheio, dominam os frutos silvestres e a fruta preta, com suaves notas fumadas. Na boca apresenta grande estrutura, com taninos robustos, volume e acidez firme. A fruta intensa surge lado a lado com notas de especiarias e suaves balsâmicos. Final muito complexo, com fruta e muita elegância que persistem.

Localizada em Frangoneiro, nos arredores de Portalegre, em terras do Alto Alentejo, encontra-se a Tapada do Chaves, uma propriedade que dá origem a vinhos de qualidade reconhecida há quase 100 anos. Com 60 hectares de terra e 32 de património vitícola, 23 dos quais de castas de uva tinta e nove hectares de castas de uva branca, a Tapada do Chaves localiza-se numa zona fortemente influenciada pela orografia (Serra de São Mamede) e pela cobertura agroflorestal que lhe confere um microclima específico e decisivo para a qualidade e tipicidade dos vinhos aí produzidos.

São raras as propriedades vitivinícolas alentejanas que acumulam mais de um século de existência. A Tapada do Chaves é, por isso, um caso único no panorama alentejano. Trata-se de um lugar particular, singular pelo seu património, pela sua orografia. Localizada sobre um maciço de granito e com uma altitude generosa que permite a maturação lenta e plena das uvas, o que se reflete em aromas muito puros nos vinhos e numa frescura singular nos tintos e brancos. A sua história remonta ao início do século XX quando, no Frangoneiro, o senhor Chaves, plantou na sua pequena propriedade (Tapada) as primeiras vinhas, iniciando uma relação de paixão e de dedicação à terra.

Na Tapada do Chaves encontram-se duas das mais velhas parcelas de vinha do Alentejo, em produção, com registo nos passados anos de 1901(vinha velha tinta) e 1903 (vinha velha branca). Logo desde o início da sua história, o Tapada do Chaves foi distinguido por um invejável palmarés de prémios e distinções que ainda hoje se pode observar nas diferentes salas que compõem a adega histórica desta propriedade. Ter um Tapada do Chaves na mesa ou na cave passou rapidamente a significar ter o melhor que o Alentejo podia dar. Destes vinhos afamados glorificava-se a boa frescura sem prejuízo de um corpo generoso e aveludado. A longevidade destes vinhos sobretudo dos tintos, é também uma das suas glórias.